quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

IML de Brasília diz que Maluf tem doença grave


Instituto Médico Legal (IML), vinculado à Polícia Civil do Distrito Federal, defendeu a possibilidade do deputado Paulo Maluf (PP-SP) permanecer preso no presídio da Papuda, em Brasília.
Em resposta a diversos questionamentos da defesa sobre a condição de saúde do parlamentar, o órgão concluiu que embora esteja acometido de “doenças graves”, não há impedimento para que ele cumpra a pena de prisão no Centro de Detenção Provisória (CDP) da Papuda, “desde que assistido pela equipe médica”.
As informações prestadas pelo IML foram apresentadas ontem ao juiz Bruno Aielo Macacari, a quem caberá decidir sobre um pedido da defesa para que o deputado cumpra a pena em casa. Ele foi condenado no ano passado a 7 anos e 9 meses de prisão, em regime inicialmente fechado, por lavagem de dinheiro.
Os advogados de Maluf pedem a “prisão domiciliar humanitária” em razão de diversos problemas de saúde: um câncer de próstata, hérnia de disco, problemas cardíacos e movimentos limitados. Alegam que a Papuda não tem condições de prestar socorro rápido ao deputado em caso de urgências e que a situação dele é “gravíssima”.
Para decidir sobre o pedido, a Vara de Execuções Penais de Brasília ainda deverá colher mais esclarecimentos da própria Papuda e avaliar a posição do Ministério Público.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.