quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Lei da meia-entrada pretende aumentar número de doadores de sangue e medula óssea


Hemope ainda discute forma de controlar o número de doações feitas por pessoa

Doadores de sangue e medula óssea terão direito à meia-entrada

Como uma forma de incentivar o aumento do número de doadores de sangue e medula óssea em Pernambuco, foi promulgada, na última terça feira (10), uma lei que dá direito ao benefício da meia-entrada em eventos artístico-culturais e esportivos e dá a isenção no pagamento de taxas de inscrição em concursos públicos realizados no Estado de Pernambuco para doadores regulares.

A Lei Estadual nº 16.724, derivada de um projeto da deputada estadual Gleide Ângelo (PSB), vai beneficiar pessoas que doaram sangue pelo menos três vezes por ano, para homens, e duas vezes, para mulheres, em um prazo de um ano. Os doadores de medula óssea precisam comprovar inscrição há pelo menos 12 meses no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

Autora da lei, Gleide Ângelo explica que a o benefício é uma forma prática de incentivar as pessoas a se tornarem doadoras. Para ela a deputada, o incentivo pode fazer com que surjam novos doadores regulares. “O ato de doar sangue não é uma coisa cultural entre nós. As pessoas só costumam ver que é importante doar quando alguém da família está precisando. A lei é uma medida prática para que a gente consiga mudar essa cultura de uma forma positiva”, afirmou Gleide.


“Inicialmente é provável que muitas pessoas venham só pela meia-entrada. Mas, ao chegar no Hemope, o doador é instruído sobre a importância da dato de doar, com isso a gente espera que essa pessoa passe a doar por causa da consciência e traga outras pessoas”, completou a deputada.

Com a nova lei, a Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco (Hemope), responsável pelos maiores bancos de sangue do estado, espera que haja um aumento no estoque. Segundo a presidente da instituição, Gessyane Vale Paulino, o Hemope deve passar por um período de adaptação à lei.

“Temos um déficit no nosso banco de sangue na Região Metropolitana e, com a lei, esperamos receber mais doadores. Além do incentivo, continuaremos fazendo campanhas publicitárias e eventos para conscientizar as pessoas sobre a importância da doação ”, disse Gessyane.

Atualmente, o doador de sangue em Pernambuco possui uma carteirinha que indica apenas o tipo sanguíneo, não registrando a frequência de doações. Segundo Gessyane, a forma de controlar o número de doações feitas por pessoa ainda está sendo discutida. "Vamos ter que fazer uma adequação nesse sentido, deve ser publicado um decreto ou uma portaria que vai indicar o que faremos a partir de agora", afirma a presidente do Hemope.

Além de incentivar novos doadores, a determinação deve beneficiar as pessoas que já doam regularmente. O porteiro Leandro José, 33, é doador há cinco anos e ficou animado com o novo benefício. "Só o ato de ajudar alguém doando já é enriquecedor, mas esse tipo incentivo é importante, deve ajudara a abrir a cabeça de várias pessoas.", afirmou Leandro.

O benefício da meia-entrada não é cumulativo. Ou seja, caso o doador tenha direito a outro benefício ele só poderá usar um. Caso não cumpram a lei, os estabelecimentos podem pagar multas entre R$ 500 e R$ 100 mil.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.