quinta-feira, 21 de maio de 2020

Só 40% dos leitos de UTI no Recife estão funcionando


Folha de São Paulo
Apenas 40% dos leitos de UTI (Unidades de Terapia Intensiva) destinados a pacientes com síndrome respiratória aguda grave, de um total de 313 abertos pela Prefeitura do Recife durante a pandemia, estão em funcionamento.
Faltam profissionais de saúde, incluindo médicos, e equipamentos em 188 deles com estrutura física já pronta nos hospitais de campanha instalados pelo município para atender à demanda crescente de doentes.
Do total anunciado, somente 125 leitos de UTI estão aptos a receber pacientes com a Covid-19. Na tarde desta terça-feira (19), conforme dados repassados pela prefeitura, 97 vagas, o que corresponde a 77,6% do total, estavam preenchidas.
Dados da central de regulação de leitos de Pernambuco, aos quais a reportagem teve acesso, apontam que, na manhã desta segunda-feira (18), 271 pacientes com síndrome respiratória aguda grave aguardavam na fila por um leito de UTI na rede pública estadual.
Só em unidades de saúde geridas pelo município havia 26 doentes esperando por uma vaga.
Até o momento, dos 1.054 leitos anunciados pelo prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), há 660 em funcionamento. Deste total, 414 estão ocupados -97 de UTIs e 317 de enfermaria.
A Prefeitura do Recife informou que os leitos dos hospitais de campanha são abertos de maneira gradativa à medida que chegam mais ventiladores pulmonares e profissionais. Segundo a gestão municipal, há dificuldades para compra de equipamentos.
No dia 4 de maio, o poder público obteve uma decisão liminar favorável à garantia de entrega de 36 ventiladores adquiridos junto à empresa Lifemed Industrial de Equipamentos e Artigos Médicos.
O material foi obtido em março e os prazos de entrega deveriam ser cumpridos em maio, mas a empresa fornecedora pediu revisão de preços, alegando reequilíbrio econômico financeiro do contrato.
A expectativa é de que, em junho, todos os leitos estejam em funcionamento.
Em nota, a prefeitura informou que ergueu, em 40 dias, sete hospitais de campanha municipais para atendimento a pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19.
A prefeitura comunicou também que 3.300 profissionais foram contratados como reforço para enfrentamento à pandemia.
A gestão municipal destacou que precisou adquirir mais de 10 mil equipamentos médico-hospitalares e mais de 3 milhões de itens de EPIs (Equipamento de Proteção Individual).

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.