quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Número de fugitivos ainda não identificado na Barreto Campelo


Durante fuga, sargento foi morto com um tiro na cabeça



O número de fugitivos da Penitenciária Barreto Campelo, na Zona Rural de Itamaracá, Região Metropolitana do Recife, ainda não foi identificado pela Secretaria Executiva de Ressocialização de Pernambuco (Seres). Durante a fuga, que ocorreu na noite dessa quarta-feira (13), houve tumulto troca de tiros, situaçãoque ocasionou a morte do sargento Rinaldo Campelo, 49 anos, servidor da unidade prisional.  A estimativa é de que cinco a oito presidiários conseguiram escapar do presídio. Dentre eles está José Marisvaldo, conhecido como Zé Maria, condenado em 2016 por chefiar a morte de Thiago Faria, promotor de Itaíba, no Agreste de Pernambuco.

O crime foi confirmado pela polícia local por volta das 21h09. O conflito surgiu em decorrência de uma tentativa de fuga planejada pelos presos envolvidos, em parceria com comparsas, que, na ocasião, deram início à investida de resgate desses presos no local. 

De acordo com o delegado João Brito, do Departamento de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), por volta das 20h30, bandidos empenhados em realizar o resgate dos presidiários atiraram em direção às guaritas da unidade prisional, momento em que o sargento Rinaldo foi atingido com um tiro na cabeça.

Ainda não se tem informação de quantos presos foram bem sucedidos na fuga, mas estima-se que o número de indivíduos esteja entre cinco e oito presos que conseguiram escapar pela lateral do presídio

O delegado do DHPP disse ainda que possivelmente os presos utilizaram uma corda para escalar o muro da penitenciária, considerado relativamente alto. Logo após o ato, retiraram a corda para não deixar nenhum resquício da ação. A possibilidade de explosão também não foi descartada pelos policiais, bem como a utilização de veículos para a realização da fuga.

Morte
Também de acordo com a polícia, o sargento Rinaldo foi atingido com um tiro na cabeça e morreu em um hospital de Itamaracá, para onde havia sido socorrido ainda com vida depois de participar da troca de tiros com os bandidos. 

O corpo do policial continua nesse mesmo hospital. A Penitenciária Barreto Campelo é uma unidade de segurança máxima, com capacidade para comportar 430 reeducandos, mas atualmente o presídio comporta 2000 presos.

Segurança Máxima
Apesar de ser um presídio de segurança máxima, ações criminosas são recorrentes no Barreto Campelo. Em outubro do ano passado, uma rixa entre presos rivais de dentro da unidade se enfrentaram. Após trocas de tiros, a situação teve como consequência duas mortes, além de um detento ferido. Na ocasião, não houve registro de fuga.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.