terça-feira, 12 de novembro de 2019

"Isso aqui não faria sentido nenhum se não fosse para servir ao povo", destaca Fernando Rodolfo sobre mandato de deputado federal



O vice-líder do PL na Câmara Federal, deputado Fernando Rodolfo, tem se destacado por sua atuação no Congresso Nacional. Só neste ano o deputado alocou mais de 80% das suas emendas parlamentares para o Orçamento de 2020 na área da saúde. Além de investimentos na saúde, o deputado abraça as bandeiras da segurança pública e na defesa da valorização profissional dos professores.

Durante participação ao programa Cidade em Foco, o deputado falou sobre o trabalho que tem realizado no início do seu primeiro mandato. "Isso aqui não faria sentido nenhum se não fosse para servir ao povo. Servir fiscalizando o atendimento no serviço público, como por exemplo, o que a gente faz nas madrugadas por ai nos hospitais, o que a gente faz nas escolas fiscalizando a qualidade da merenda escolar que é servida as crianças, servir ao povo através da destinação de recursos", disse.

Bolsonaro - Na oportunidade, o mesmo ponderou sobre os primeiros meses de governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e utilizou um discurso otimista ao se referir ao mandatário. "Bolsonaro é um presidente bem intencionado, um presidente que tem tentado acertar em tudo que faz. Ninguém sai de casa com a intenção de errar, ele pode até errar, mas na tentativa de acertar. A gente tem que dar um desconto, Bolsonaro assumiu o país com uma uma imensidão de problemas", declarou.

FUNDEF - Fernando Rodolfo tem abraçado durante sua trajetória a defesa pela valorização do professor, em especial, na luta para o rateio dos recursos dos precatório do extinto FUNDEF entre os professores. Durante a entrevista, o mesmo lamentou decisão do Tribunal de Contas da União que proibiu por parte do municípios o pagamento de advogados e professores com recursos oriundos do fundo.

"Sou crítico ferrenho da decisão do TCU e aponto nas audiências públicas o caminho para aquele prefeito que deseja fazer o rateio. É possível fazer o rateio dando uma proteção jurídica ao prefeito, não queremos de maneira nenhuma que nenhum gestor saia prejudicado", destacou o mesmo.

O deputado esclareceu que se faz necessário que os prefeitos busquem judicialmente a autorização para a utilização dos recursos na busca de ressarcir os professores e que em algumas cidades tal prática tem sido bem sucedida. "Sou o primeiro a dizer que se não houver homologação judicial, nenhum prefeito deve pagar, porque ele sofrerá seguramente consequências. Há uma decisão do TCU, então para ele ir na contramão desta decisão, ele tem que está amparado judicialmente", pontuou.

Bom Jardim -  O deputado ainda foi questionado na oportunidade sobre a atitude do prefeito João Lira (PSD) da cidade de Bom Jardim, que recentemente atacou uma educadora através de um áudio nas redes sociais. "Fiquei até sem acreditar que realmente fosse o prefeito. Não conheço o prefeito, mas acho que aquilo foi desnecessário, não se deve tratar um professor daquela forma, professor a gente trata com respeito e o áudio do prefeito foi extremamente desrespeitoso com o professor"", declarou.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.