terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Ação mira postos por receptação de combustível roubado e sonegação de R$ 7,1 mi em impostos


As empresas investigadas há seis meses atuam de forma coordenada na sonegação de impostos estaduais e na receptação de caminhões de combustível roubados, disse a operação

A estimativa da Fazenda Estadual é de que os débitos tributários desses postos que faziam a venda do combustível roubado sem emissão de notas fiscais, cheguem a R$7,1 milhões

Postos de gasolina do Recife, Região Metropolitana e Zona da Mata de Pernambuco estão sendo investigados por sonegação de aproximadamente R$ 7,1 milhões em tributos e por receptação de combustível roubado.

Seis mandados de prisão e 17 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos na operação Reditus, deflagrada nesta terça-feira (3) pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio do Grupo de Atuação Especializada de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), da Secretaria Estadual da Fazenda e das Polícias Civil e Militar do Estado.
As investigações, que começaram há seis meses, têm como alvo empresas do ramo de combustível do município do Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes e Paulista, na RMR, além de Glória do Goitá, na Zona da Mata, que, segundo a operação, atuam de forma coordenada na sonegação de impostos estaduais e na receptação de caminhões de combustível roubados.

Segundo a polícia e o MPPE, o esquema de sonegação fiscal, receptação qualificada, lavagem de dinheiro, além da ocultação de documentos de crimes graves foi iniciado no posto de gasolina da bandeira Federal localizado na avenida Carlos Gueiros Leite, em Paulista.

A polícia suspeita ainda que os envolvidos faziam a "encomenda" dos roubos de cargas, adulteração do combustível, lavagem de dinheiro e uso de laranjas para encobrir os nomes dos proprietários. A estimativa da Fazenda Estadual é de que os débitos tributários desses postos que faziam a venda do combustível roubado sem emissão de notas fiscais cheguem a R$ 7,1 milhões.

A Secretaria da Fazenda informou ainda que as empresas investigadas já haviam sido alvo de diversas autuações por irregularidades fiscais e que a análise dos documentos apreendidos nesta terça permitirá um levantamento mais preciso dos prejuízos causados pelo grupo à arrecadação estadual.

O MPPE informou que as prisões e apreensões da operação Reditus serão detalhadas nesta quarta-feira (4) em entrevista coletiva.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.