sábado, 23 de maio de 2020

Prefeitura do Recife informa que empresa desistiu de fornecer respiradores pulmonares


Empresa alegou que, mesmo não existindo qualquer irregularidade, vem sofrendo prejuízos por veiculações injustificadas de sua marca

Respirador
A Prefeitura do Recife informou que a empresa Juvanete Barreto Freire, representante da fabricante de equipamentos médicos e odontológicos Bioex, desistiu de fornecer respiradores pulmonares ao Recife. A empresa alegou que, mesmo não existindo qualquer irregularidade, vem sofrendo prejuízos por veiculações injustificadas de sua marca.
A Prefeitura registra que tem atuado em colaboração com todos os órgãos de controle, em especial o Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público, pelos quais a gestão tem enorme respeito e admiração. A representação critica a atuação do procurador do Ministério Público de Contas, Cristiano Pimentel.
"Infelizmente, ao que parece, essa não tem sido a relação do Procurador Cristiano da Paixão Pimentel com a Prefeitura. Somente ontem, indícios apontam que o referido procurador deu notícias de uma representação interna a 11 de veículos de imprensa", acusou.
"O que é mais estranho, é que tudo aconteceu antes mesmo da Prefeitura ter sido notificada da representação interna para esclarecer as dúvidas sobre o processo. Fica a dúvida, se o interesse é mesmo pela apuração dos fatos, o que é um dever do procurador, ou apenas criar um suposto escândalo na mídia e gerar consequências político-eleitorais", criticou.
A prefeitura lamenta a desistência da empresa e o cancelamento da chegada dos respiradores. "O resultado de toda esta situação, é que os respiradores pulmonares que iriam salvar vidas de recifenses, agora vão salvar vidas em outras cidades. A Prefeitura lamenta muito que a situação criada por um comportamento duvidoso, tenha gerado esse prejuízo à nossa população".
"Continuaremos trabalhando incansavelmente para ajudar os recifenses e agradecemos todo o apoio que temos recebido da população, da sociedade civil organizada, dos órgãos de controle e de todos que estão unidos contra o vírus. A lamentável situação aqui registrada é, sem dúvida, resultado de um comportamento que representa uma exceção", conclui a nota.
Em resposta, a assessoria do procurador Cristiano Pimentel informa que "não responde notas oficiais redigidas por comissionados políticos que fazem ataques pessoais". A nota ressalta a trajetória do procurador como "membro do Ministério Público que tem trajetória de 14 anos de total isenção e distanciamento político partidário em Pernambuco". O texto ainda cobra ao prefeito do Recife "uma conduta mais urbana e elegante" dos servidores da prefeitura "com seus colegas de TCE", ressaltando que o gestor é funcionário concursado da Prefeitura do Recife. 

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.