quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Familiares das vítimas do acidente de Gravatá vão ao IML liberar corpos


Letícia Araujo da Silva, 20, Amara Santana, 25, grávida de uma menina de 6 meses, e o motorista Givaldo Barbosa da Silva, 61, foram as vítimas fatais



Familiares das vítimas fatais do acidente ocorrido na descida da Serra das Russas, em Gravatá, foram ao Instituto Médico Legal (IML), para reconhecer e liberar os corpos na manhã desta terça-feira (11). Morreram Letícia Araujo da Silva, de 20 anos, Amara Santana, 25, grávida de uma menina de 6 meses, e o motorista Givaldo Barbosa da Silva, 61. O acidente aconteceu na noite da última segunda-feira (10), no quilômetro 71, da BR 232.

Segundo Aurimenes Rodrigues, marido da tia de Letícia, essa foi a primeira vez que a jovem foi a Santa Cruz do Capibaribe. “Ela estava acompanhada da tia e de amigos que moram em Peixinhos, Olinda, lugar de onde o ônibus saiu e estava indo comprar roupas de fim de ano. A família ficou sabendo atraAinda segundo Aurimenes, Letícia ia completar 21 anos no próximo dia 13 deste mês. “Ela era uma menina cheia de vida, alegre e queria fazer faculdade, mas teve os sonhos interrompidos”, contou.vés da tia, que ligou avisando o ocorrido”, disse.

A tia de Letícia, Silvana Maria, 50 anos, que estava no ônibus no momento do acidente, teve apenas ferimentos leves. Ela disse que algumas pessoas sentiram, durante a ida para o centro comercial, um cheiro de queimado no ônibus e que o motorista, ao chegar em Santa Cruz do Capibaribe, trocou um dos pneus.

“Na volta para casa, o ônibus começou a apresentar um problema no freio e começou a descer a Serra. Todo mundo começou a gritar, foi quando houve o impacto contra o carro e o caminhão”, explicou. Ainda segundo ela, mais de 50 pessoas estavam no ônibus. A família está aguardando a chegada da mãe de Letícia para o reconhecimento e liberação do corpo pelo IML e para o enterro que, segundo a família, deve acontecer ainda hoje, no cemitério de Santo Amaro.

José Ruy Cavalcante é caminhoneiro e amigo do motorista morto no acidente. Segundo ele, Givaldo trabalhava como motorista há mais de 20 anos. “Ele era cuidadoso com o veículo e há dois anos colocava o ônibus na garagem da minha casa e esse é o primeiro acidente em que ele se envolve”, falou.

A mãe de Amara Santana, que estava grávida, também estava com a filha no momento do acidente e teve ferimentos no braço e na cabeça. Ela foi ao IML aguardar a liberação do corpo, mas não quis falar com a reportagem. De acordo com outros familiares da vítima, além da mãe, estavam no ônibus também a irmã e o filho mais novo de Amara, um menino de 4 anos. Eles foram fazer compras para o enxoval do bebê. Não foi informado o estado de saúde do resto da família.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.