quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

PF investiga grupo que praticava 'golpe da cirurgia plástica' na RMR


Segundo a PF, as clientes que eram abordadas pelo grupo eram levadas a participar de um esquema de consórcio irregular, que funcionava sem a autorização necessária do Banco Central

Agentes da PF apreenderam, entre outros objetos, contratos de adesão
Uma operação deflagrada pela Polícia Federal em Pernambuco nessa terça-feira (11) mirou um grupo que aplicava golpes em pessoas interessadas em realizar cirurgias plásticas. Na operação, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão nos bairros da Iputinga e Boa Viagem, no Recife; Marcos Freire e Piedade, em Jaboatão dos Guararapes e em Olinda, todos na Região Metropolitana do Recife.

Segundo a PF, as clientes, que tinham o desejo de fazer cirurgias plásticas, eram abordadas pelo grupo eram levadas a participar de um esquema de consórcio irregular, que funcionava sem a autorização necessária do Banco Central (BC).

As investigações apontam que os organizadores da iniciativa distribuíam as clientes em subgrupos, que contribuíam com valores divididos em parcelas que variavam entre R$ 300 e R$ 500 e participavam de um sorteio. Segundo a polícia, algumas clientes relataram prejuízos de mais de R$ 40 mil. 
De acordo com a polícia, algumas participantes que contribuíam regularmente com o consórcio foram contempladas com o sorteio e não receberam os valores prometidos, que seriam utilizados para a realização de procedimentos estéticos.

A operação Sirena resultou na apreensão de agendas, telefones celulares, mais de 150 contratos de adesão, notebooks e outros materiais que serão analisados pela PF. Os suspeitos continuam sendo investigados e, se condenados, podem ser punidos com até 18 anos de reclusão.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.